Segunda-feira, 14 de Julho de 2008

Internet sem fios atrai visitantes no Fundão

Na praça central da aldeia da Capinha, concelho do Fundão, hoje já ninguém estranha ver meia-dúzia de forasteiros dentro de carros a usar computadores portáteis.

Ao princípio ainda desconfiaram - «eram desconhecidos que andavam sempre por ali», confessa Rogério Palmeiro, presidente da Junta de Freguesia - mas depois perceberam que iam à aldeia para usar a Internet gratuita sem fios.

«Juntam-se sobretudo aos domingos», acrescenta Catarina Robalo, de 26 anos, auxiliar de acção educativa na escola básica da Capinha, que também se tornou uma adepta da Internet, tendo comprado um computador depois da Junta cobrir a aldeia com o serviço grátis.
 

A ambição era ter uma rede Wimax

A autarquia investiu 2.500 euros em equipamento com o apoio do Programa Operacional da Sociedade do Conhecimento, para além de outros 100 euros mensais em assinaturas. «Depois de uma fase de testes, o sinal está estabilizado há três meses», explica Rogério Palmeiro.

Quatro antenas principais e outras dez mais pequenas espalham pela aldeia o sinal que permite a qualquer pessoa aceder com uma largura de banda média de oito megabits por segundo (Mbps).

A ambição era ter uma rede Wimax, «que garante melhor cobertura», mas Rogério Palmeiro queixa-se da falta de apoios para financiar um projecto baseado naquela tecnologia de redes sem fios, ainda em fase de expansão.

«Seja com esta ou outra tecnologia, a nossa ambição é poder consolidar a rede e ampliar a largura de banda, ou registar os utilizadores, de forma gratuita, à medida que os acessos forem crescendo», acrescenta.
 

«Temos que levar a tecnologia a toda a gente»

«Já chegámos a ter 60 utilizadores em simultâneo», valor que considera «assinalável», numa aldeia onde vivem cerca de 700 pessoas. «Às vezes o sinal vai abaixo, mas temos sempre um colaborador pronto a tratar de voltar a ligar do equipamento», salienta.

«Temos promovido acções de formação e abrimos uma sala de leitura e multimédia, onde há oito computadores para trabalhar e aceder à Internet, 24 horas por dia. Hoje em dia temos que levar as tecnologias de informação a toda a gente», justifica.

Cláudia Abrantes, funcionária da Junta de Freguesia, de 41 anos, diz que está a pensar abandonar o serviço de ADSL e telefónico que subscreve em casa.

«Temos Internet gratuita e funciona bem. E é pelo Messenger que falo com a minha família em França e em Lisboa», conta.

A Internet é especialmente útil agora que está prestes a cumprir o 12º ano graças ao programa Novas Oportunidades. «Faço lá muita pesquisa», salienta.

 

 

Fonte: Diário IOL

publicado por José Coelho às 18:04
link do post | comente este post | favorito

pesquise no blog

 

mais posts aqui

TEMAS

video do dia

youtube

videos

coisa criativa

música

cinema

brasil

facebook

pérolas do youtube

natureza

coisa bizarra

portugal

mulher

wallpapers

criatividade

internet

animais

google

redes sociais

humor

fotografia

curiosidades

download grátis

download

mundo animal

celebridades

jogos online

arte

trilhas sonoras de filmes

youtube filmes

fotografias

imagens

turismo

saúde

tecnologia

vimeo

hoje descobri

microsoft

china

futebol

filmes

natal

jogos

dicas

twitter

videoclipes musicais

videos engraçados

visita virtual

estados unidos

serviços online

cães

mapas

carros

infografias

lugares do mundo

moda feminina

japão

videos de animais

videos divertidos

astronomia

ferramentas online

gifs animados

curiosidade

design

mulheres

baixar grátis

flores

vida

games online

gatos

imagens de fundo

motores de busca

serviços web

automóveis

índia

arte digital

fotos

google maps

hilário

amor

como fazer

cristiano ronaldo

mp3

trailers

videos musicais

videos virais

animais selvagens

arte criativa

crianças

londres

photoshop

reflexão

rio de janeiro

sites úteis

videos explicativos

ciência

cores

europa

lisboa

livros

todas as tags